Musicalizando

Djeneration – Mandando um djent com alguns cliques

Já mostramos aqui num blog um gerador de Blues pra você perder o seu tempo brincando. Agora chegou a hora de levar a brincadeira para um novo nível. Recomendado pelo Renan Fernandes, camarada de longa data, eis o Djeneration Station, um gerador em looping de riffs de djent.

http://djen.co/

Atenção: Se o link deste site estiver fora do ar, por favor me avisem, pois o artigo se torna praticamente inútil sem ele.

Atenção 2: Apesar de me considerar um audiófilo (de alguma forma), conheço apenas o básico de teoria musical, portanto, se alguma coisa estiver incorreta nas explicações abaixo, por favor entre em contato para que eu possa corrigir.

Se você não conhece o que é djent, djent é um subgênero derivado do Metal, considerado um braço do Metal Progressivo. Ele é caracterizado por guitarras com afinação mais grave (ou guitarras com sete, oito cordas), distorção de alto ganho aliada a palm-muting (abafamento das cordas), além das características herdadas do Metal Progressivo, como complexidade e a virtuosidade até em alguns solos ou riffs. O djent também é associado ao metalcore e outros estilos, formando um som bem característico.

Se você não está familiarizado com djent, só para começar a brincadeira você pode utilizar os Presets, que são configurações especificamos associadas ao som característicos de determinadas bandas.

presets-djenerationAo selecionar um Preset, você pode clicar em GENERATE RIFF e depois no botão ao lado (PLAY) para ouvi-lo. Você pode deixar um loop infinito ou não, clicando em LOOP. Os Presets estão associados a 4 bandas:

ADTR Breakdown = A Day to Remember

Sworn In = Sworn In

Thall/Thall – Buster/Thall – Triplets = Vildhjarta

Tesseract = Tesseract

A titulo de curiosidade, ao clicar no nome da banda você pode ouvir uma música que escolhi de exemplo com base na contagem de visualizações do Youtube. Os Presets dão uma boa ideia de exemplos de riffs gerados com base no conceito musical de cada uma das bandas, entretanto a brincadeira começa a ficar mais interessante quando você começa a configurar os seus próprios riffs em Settings.


Settings

configuracoes-djeneration

Aqui a coisa começa a ficar mais complexa, pois envolve muita matemática e composição musical. Vou tentar explicar da forma mais leiga possível, o suficiente para poder brincar com o Djeneration.

Antes de começar, corra pelas opções e configure da seguinte forma:

Tire o Loop, BPM = 60, Bars x Beats = 4 x 4, Randomised beat settings = 100% na primeira opção, sem marcar triplets. Hit chance = 100, Bars x Beats = 4 x 4, marcar somente Sixth string [Muted] = Fret 0 e Basic hihat (desmarque todo o resto).

Agora vamos explicar como funciona.

BPM (50 – 300) =  É o andamento da música. BPM significa Beats Per Minute ou Batidas Por Minuto. Geralmente é usado um metrônomo para facilitar a contagem deste tempo, mas no nosso caso vamos usar o Hihat para contar. Se você configurou exatamente da forma como pedi, ao clicar em Generate Riff e Play (para facilitar vamos colocar a sigla GR&P), vai ouvir 1 batida na guitarra a cada 4 segundos e exatamente uma batida no Hihat a cada 1 segundo, ou seja, uma batida por segundo.

Atenção: A partir deste momento, sempre que o tutorial solicitar para trocar alguma configuração, é necessário GR&P novamente.

Troque o BPM para 120 (mantenha a partir de agora em 120) e perceba que o tempo reduziu pela metade, ou seja, 1 batida na guitarra a cada 2 segundos e 2 batidas no Hihat a cada 1 segundo. Até aqui, a matemática é simples.

Advanced: BPMs com números, principalmente primos, distantes dos múltiplos 30, 60, 120, 240 (em diante) tendem a confundir um pouco o cérebro, o que é bem interessante, pois nosso cérebro está acostumado a contar o tempo em intervalos “exatos”, em termos leigos. Isso varia também do gosto musical de cada um. Música eletrônica tende a usar BPMs altos enquanto estilos como Doom Metal BPMs mais baixo. Vai muito de cada um esta impressão também.

Beats x Bars = Aqui é a composição do compasso. A forma mais simples de um compasso é 4 x 4, ou seja, 4 batidas em repetidas em 4 vezes (barras), num total de 16. Se você colocar 1 x 4, vai ouvir apenas uma repetição de 1 batida na guitarra e 4 Hihats, totalizando 2 segundos. Se você voltar para 4 x 4, são 4 vezes esta repetição (4 guitarra/16 Hihats/8 segundos).

Atenção: Em algumas simulações, pode acontecer do Hihat não tocar as 4 batidas, apenas 2 intervaladas. Não sei porque isso acontece…

Advanced: Os tempos mais comuns na música são 4/4 e para o rock principalmente 3/4 (no nosso caso 4 x 3), entretanto, o metal progressivo (assim como tudo o que se denomina progressivo) pode conter tempos como 15/16 (8 x 7,5), 7/4 como em Money do Pink Floyd (4 x 7 ou 2 x 3,5, dependendo do tamanho da frase musical que você tem) e por ai vai. Isso entra em um conceito mais complexo de frase musical e tempos mais quebrados.

Randomised beat settings = Vamos complicar a matemática? Aqui nós vamos dar um valor matemático para as notas tocadas na nossa guitarra. Se estamos em 120BPM, usando um compasso 4 x 4, significa que a guitarra é tocada 1 vez a cada 2 segundos na configuração que deixamos. Mas porque isso acontece? Porque estamos usando uma nota Semibreve para a guitarra, cujo valor por compasso é de 1, ou seja, ela preenche um compasso inteiro com uma única nota. Num compasso de 4 x 4, 120BPM, a Semibreve vale 4 batidas, que equivale a 2 segundos a cada compasso. Veja abaixo os nomes e valores de cada nota representada no Djeneration (faltam as notas Fusas e Semifusas, que equivalem a 1/32 e 1/64, as quais não estão no Djeneration).

teoria-musical1-djeneration

Agora troque os 100% na Semibreve para 100% na Mínima. Como a Mínima vale metade da Semibreve, num compasso 4×4 a 120BPM ela vale 2, ou seja, ela é tocada duas vezes por compasso (ou a cada 1 segundo). Agora troque para 100% na Semínima. Em 4×4, 120 BPM, ela vale 1, sendo tocada 4 vezes por compasso, no mesmo tempo do Hit hat. Por fim, coloque 100% na Semicolcheia de uma vez e veja a guitarra ser tocada como uma metralhadora, a 16 vezes por compasso. Mal dá pra contar, é uma nota da guitarra cada 250 milissegundos.

Advanced 1: O primeiro fator de aleatoriedade do Djeneration está na porcentagem de ocorrências de determinadas notas dentro do compasso. A partir do momento em que você tira os 100% de uma nota distribui para as demais, não dá mais para prever o que vai acontecer. Para fins de tutorial, não faça isso, mas quando for começar a gerar seus próprios riffs é fundamental que você use este fator.

Advande 2: Um Triplet (opção abaixo das notas) é uma notação musical para uma representação de 3 notas no tempo de duas, ou seja, cada uma valendo 1,5. Isso pode confundir um pouco na matemática, principalmente porque estes triplets podem não caber no mesmo compasso dependendo das notas que você randomizar, significando que eles vão “emendar” com notas do próximo. A exemplo coloque 100% em Semínima e selecione Triplet. Você vai perceber que em 4 compassos, ao invés de tocar 16 notas na Guitarra, serão 24, pois se cada Semínima vale 1, são 4 em um compasso, ou seja, cabem 2 triplets com 3 notas cada, logo 6 notas por compasso, 6 x 4 = 24.

Hit chance (%) = É a chance da nota ser tocada dentro do compasso, ou seja, outro fator de aleatoriedade. Neste momento esta chance é bem simples e bem fácil de identificar. Mantendo 100% na Semicolcheia e o resto das configurações da sequência acima, coloque 50% e GR&P. A partir do momento que você tira os 100% de Hit chance, tudo pode acontecer. Mesmo nesta configuração básica, um compasso dificilmente será igual ao outro.

Advanced: Que fazer um riff com mais espaços em branco entre as notas? Diminua a porcentagem para 25% ou até mesmo 10%, mas antes de prosseguir, volte aos 100%.

Bars x Beats (de novo) = Por hora este é o único item que não soube explicar com exatidão. Ele só afetou a Guitarra e o Kick (Bumbo) em minhas experiências. Ele tem maior influência ao colocar mais notas aleatórias dentro de um compasso, entretanto utilizando a estrutura 4×4, 120 BPM, 100% Semínima e 100 Hit chance, veja alguns resultados utilizando números quebrados.

Bar 1 x 1,5 – A batida após a primeira Semínima é tocada cheia e depois, a cada uma Semínima é tocada uma Colcheia, dando um total de 21 notas, sendo 11 Semínimas e 10 Colcheias.

Bar 1 x 1,25 – A batida após a primeira Semínima é tocada cheia e depois, a cada uma Semínima é tocada uma Semicolcheia, dando um total de 25 notas, sendo 13 Semínimas e 12 Semicolcheias

Até aqui tudo bem, pensando nos múltiplos 0,5/0,25/0,175…

Bar 1 x 1,75 – A cada 1 Semínima é tocada uma nota que vale 0,75 da Semínima. Pelo que consegui ouvir são 19 notas de valor diferente alternadas sendo que a última é “quebrada” por estar fora do compasso (algo em torno de 0,25).

Bar 1 x 1,9 – Segue a mesma regra acima, foram 17 notas tocadas no lugar de 16, como se estivesse alternando entre uma Semínima (que vale 1) e uma outra nota que vale 0,9 neste contexto e a última quebrada.

Bar 1 x 1  – Nada acontece, entretanto ao selecionar um Triplet, a primeira nota é toca cheia e depois a batida se tornou uma “cavalgada” constante. Pelo que contem são aproximadamente 32 notas no total, sendo que 16 delas são notas com o tempo de Triplets de Semínima (ou seja, a cada 3, equivale a 2 Semínimas) e 16 delas são Triplets de Colcheia. Não que esta estrutura exista, mas a conta bate.

Bar 1 x 1,5 Triplet – Aqui o cálculo complicou. Se meu ouvido está afinado, foram 32 notas, sendo 7 Triplets (21 notas) + uma nota sozinha de um Triplet incompleto + 10 notas mais baixas que valem 1/10 do Triplet.

Bar 2 x 1,5 – Nada mudou, entretanto, ao selecionar um Triplet, a cada 4 notas foi tocada 1 de menor valor, entretanto, a frase não fechou, totalizando 22 da nota mais alta e 5 da nota mais baixa. Pelo calculo aproximado que fiz, são 7 Triplets de Semínima + uma nota sozinha de um Triplet incompleto + 5 notas com um valor muito pequeno, e ai o negócio complicou demais, pois ai minha habilidade com calculo musical não me permitiu chegar a uma conclusão.

Bar 1,5 x 2 – Mesmo efeito acima.

Bar 3 x 1 – Mesmo efeito acima.

Bar 2 x 1,25 – A cada 2 Semínimas é tocada 1 Colcheia

Bar 1 x 2,5 – Mesmo efeito acima

Bar 1 x 2,75 – A cada dois compassos de Semínimas, o segundo compasso tocou 1 Semínima e 1 Colcheia.

Bar 1 x 7,5 – A cada 7 Semínimas é tocada 1 Colcheia.

Bar 1 x 7,25 – A cada 7 Semínimas é tocada 1 Semicolcheia.

Bar 1 x 7,75 – A cada 8 Semínimas é tocada uma nota que não consegui calcular, num total de 17 notas, sendo que a última me pareceu incompleta.

Bar 1 x 8,5 – Não mudou nada

Chega de simulações. A conclusão que tive é que não importa qual número você coloca em Bar ou Beats e sim o valor multiplicado e sua composição.

Sem o uso de triplets, o número antes da vírgula, entre 1 e 7, significa quantas notas leva para a nota após a vírgula ser tocada. Então o valor da nota após a vírgula é calculado. Caso seja um número na notação musical em valor (0,5/0,25/0,125…), a nota pode ser calculada facilmente dentro de um compasso. Caso seja um número “fora da notação” usual (incluindo maior a 0,5), a nota também será. As vezes pode coincidir de um número “fora da notação” usual possa gerar um compasso dentro da notação se eu não calculei errado, como 1 x 2,75, mas não é sempre que isso pode acontecer. Sei que existem formas de montar estes compassos com algumas notações não tão básicas, mas não vem ao caso.

Com o uso de triplets, existem duas opções, uma é a multiplicação resultar em um número cheio ímpar entre 1 e 7. Neste caso, serão tocadas X notas sendo X igual a este número ímpar e e então uma nota menor. Outra situação é colocar um número quebrado (como nos casos sem triplets) e ver o cálculo se complicar.

Conclusão: Se garanta nas notas dentro da notação que vai fazer mais sentido, a menos que você seja músico e já manje de como montar este tipo de partitura mais fácil.

Atenção: Se algum músico de plantão ou matemático encontrar alguma formula errada, afinal tudo isso foi de ouvido, por favor me avise.

Ao utilizar porcentagens diferentes de notas aleatórias, o cálculo é diferente. Usando 120BPM, 50% Semínima, 25% Colcheia e 25% Semicolcheia em um compasso 4 x 4 com 100% de Hit chance, selecione somente o instrumento Kick e veja como a batida vai mudar ao longo dos testes abaix0.

Bar 1 x 1: Uma única batida sera gerada (ritmo, pode variar as notas dentro do compasso) que será repetido pelos 4 compassos.

Bar 2 x 1: Será gerada uma batida composta por 2 barras. Será um ritmo um pouco mais complexo, repetido várias vezes. Pode gerar um ritmo igual ao 1 x 1.

Bar 3 x 1: Será gerada uma batida composta por 3 barras. Dependendo do ritmo que gerar, ele não vai correr exatamente perfeito as 16 barras do 4 x 4, pois são 4 batidas de 3 = 12, faltando uma nota na última (ou primeira) batida.

Bar 4 x 1: Será gerada uma batida composta por 4 barras, ou seja, ela vai preencher um compasso inteiro e vai se repetir 4 vezes.

Nestes casos, 2 x 1 = 1 x 2, 3 x 1 = 1 x 3 e assim por diante, portanto, a complexidade da sua batida vai depender do tamanho do tempo que você configurou + a conta Bar x Beats de batida. Exemplo: Se você configurar a música em 8 x 8 (máximo), significa que são 64 batidas. Se você criar um ritmo de 4 x 4 = 16, ele vai repetir 4 vezes uma batida composta por 4 compassos com 4 notas cada um. Agora, se você configurar uma batida 8 x 8 também, significa que durante as 64 notas que compõe este compasso 8 x 8 o padrão de batida criado tocará apenas uma vez. Para facilitar a identificação neste caso combine o Kick com o Hihat (que será sempre constante).

Se você quiser “bugar” o cérebro ou fazer um ritmo extremamente complexo, é só combinar tudo o que aprendeu até agora. Como exemplo, só com o Kick e o HiHat, veja o que é possível fazer:

  • 120BPM
  • Compasso 8×8
  • 50% Semínima, 25% Colcheia com Triplet, 25% Semicolcheia
  • 75 Hit Chance
  • Batida 8 x 6.5

Perceba o quão complexa é a batida. Infelizmente, como a Guitarra e o Kick são orientados pela batida, se você acrescentar a Guitarra nesta configuração, o riff ficará extremamente bizarro.

Com isso, concluímos as configurações da música em si, agora vamos para os instrumentos.


Instrumentos

guitarra1-djeneration

guitarra2-djeneration

Guitarra

O primeiro instrumento que pode ser selecionado é a Guitarra, que neste caso, pode ser considerado uma Guitarra/Baixo, visto que a afinação desta guitarra de 6 cordas está em G♯, o que significa que as notas das 6 cordas são G-D-G-C-F-A♯ respectivamente ao invés da afinação tradicional E-A-D-G-B-E, alcançando um range de notas intermediário entre uma guitarra e um baixo. Para quem não conhece a notação musical para as notas: C = Dó, D = Ré, até B = Si, com os acidentes (exemplo Dó Sustenido = C♯). Se a afinação está em Drop G♯, significa que a corda mais grave é afinada 3 tons abaixo de um Drop D, que é um tom abaixo da afinação normal em E (mi), indo de E -> D# -> D -> C# -> C -> B -> A# -> A até G#. Para facilitar a explicação, consulte a imagem abaixo, que contem somente as cordas e fretes desta guitarra em Drop G# que são utilizados. Clique na imagem para ampliar.

guitar2-djeneration

O Djeneration dá 6 opções na guitarra:

  • 6a Corda – Aberto: O frete selecionado é tocado (sendo 0 a corda solta)
  • 6a Corda – Fechado: O frete selecionado é tocado abafado (sendo 0 a corda solta)
  • 5a Corda – Aberto: O frete selecionado é tocado
  • 3a Corda – Aberto: O frete selecionado é tocado
  • 3a Corda – Bend: Significa que a nota do frete tocado sobre meio ou 1 semitom, não sei exatamente qual é o intervalo
  • Misc – Possui três opções
    • Dissonância no “frete 10” e Dissonância no “frete 16”: Até onde eu sei, dissonância é em acorde. Posso estar enganado, mas seguindo a comparação da frete 10, 3a Corda e o “frete 10” Dissonante, tive a impressão de que o segundo é uma nota tocada com este mesmo frete. Aqui pode ter um erro grotesco meu, portanto se houver, eu mudo na imagem.
    • Scratch: Também posso estar enganado, mas me pareceu um palm-mute ao tocar as primeiras cordas soltas.

Cada nota que você selecionar em cada corda será contabilizada em um fator aleatório. Você pode selecionar todas, mas provavelmente que estas notas não vão formar uma escala legal, portanto podem soar dissonantes mais do que o usual para o Djent, que usa dissonância como parte de seu leque de texturas sonoras. Não vou entrar em detalhes de escala, até porque isso implica em mais conceitos de teoria musical que não vem ao caso.

Bateria

acompanhamento-djeneration

Para que você possa escolher corretamente o acompanhamento que deseja na bateria, é preciso conhecer os termos, o que é cada coisa. Para facilitar, abaixo temos uma imagem adaptada da Wikipedia para ilustrar exatamente (em negrito) quais são os itens usados na bateria no Djeneration.

drum-djeneration

Kick: Acompanha o ritmo da guitarra, portanto tudo o que você configurar na guitarra, configura aqui também. Como pôde ver ao longo do tutorial, as vezes uma batida complexa fica legal, desde que a guitarra não esteja ligada, senão vira uma confusão. Pensando neste sentido, o Djeneration é um ótimo drum machine também.

Snare: Tocado uma vez por compasso. Sua posição depende do compasso utilizado, mas nos compassos mais simples como 4 x 4, ele é tocado na terceira batida.

Hihat: Já visto aqui neste tutorial, o hihat é praticamente o nosso metrônomo. Ele é tocado a cada batida por compasso, equivalente a uma semínima. Num 4 x 4, ele toca 4 vezes por compasso. Lembrando que há uma váriavel aleatória que o transforma numa mínima, tocando uma batida sim, um não.

Crash Left e Right: Seguem o esquema do hihat se utilizados isolados. Podem ser tocados como uma semínima ou uma mínima. Entretanto, se selecionados os dois, os padrões mudam, criando batidas diferentes como R L R R R L R L / L L R L L L R L em Semínima ou R L L L em Mínima. São muitas possibilidades.

China: Tocado em Semínima ou Mínima. Sua posição depende do compasso utilizado, mas nos compassos mais simples como 4 x 4, se tocados em Semínima aparecem nas posições 1 e 3 do compasso (experimente colocar somente China e Snare em 4×4 e gere vários GR&P, verá que existem duas possibilidades, 4 Chinas e um Snare na terceira posição, ou China em 1 e 3, Snare em 3).

Drone: Por fim, é um efeito de fundo, com três opções de tom, para dar um ar mais sombrio ao ritmo.


Concluindo

Agora que você sabe as possibilidades e a complexidade do Djeneration, você pode controlar melhor esta brincadeira e desenvolver desde riffs característicos de algumas bandas de Djent até mesmo batidas extremamente complexas. Clicando no botão SHARE RIFF você pode criar um link para compartilhar o ritmo que você criou.

Se criar algum ritmo interessante, não esqueça de mandar aqui nos comentários! Espero que tenha gostado desta aventura musical.

Um abraço e até mais!

Comenta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s