Diário de Bordo

Diário de Bordo 8 – Exposição “O Espírito do Budô”

Trazendo um pouquinho de cultura para o blog, recentemente compareci a exposição “O Espírito do Budô”, organizada pela Japan Foundation com o apoio do Consulado Geral do Japão aqui em São Paulo na Cinemateca Brasileira. A exposição, com entrada gratuita, ficou na Cinemateca de 26 de Maio a 21 de Junho deste ano (2016), então quem não foi, perdeu, a menos que você, que está lendo este post, resida em Curitiba ou Recife, cidades que receberão a exposição entre 1 a 24 de Julho no Museu Paranaense e entre 10 a 31 de Agosto na Torre Malakoff, respectivamente. A exposição, que estava na Estônia, depois do Brasil passará para o Paraguai.

Entrada da exposição

Entrada da exposição

A exposição contou com uma seleção de armas e armaduras (a maioria réplicas) utilizadas nas guerras no Japão, além de quadros explicativos contando um pouco da história do grande império do Oriente.

Ilustração de Hokusai, um dos precursores do mangá

Ilustração de Hokusai, um dos precursores do mangá

Não vou me alongar muito na análise da exposição, até porque acho que as legendas das fotos podem expressar melhor o conhecimento que trago da exposição aqui para o blog. A exposição não era muito grande, então achei mais interessante colocar as informações nas legendas mesmo.

Ilustração Sakakibara Gekiken Kai

Ilustração Sakakibara Gekiken Kai

 

Pergaminho com desenho de espada japonesa

Pergaminho com desenho de espada japonesa

Uma observação quanto as espadas da exposição. Como todas estavam expostas dentro de prateleiras fechadas de vidro, somente a foto abaixo ficou boa. As demais estavam em outro ambiente, cuja luz atrapalhou muito independente do ângulo da foto.

Espada tachi

Espada tachi

Já nas armaduras eu consegui um ângulo relativamente bom pra tirar as fotos, então aproveitem algumas das imagens destas incríveis obras de arte.

Armadura tipo õ-yoroi com capacete tipo hoshi-kabuto

Armadura tipo õ-yoroi com capacete tipo hoshi-kabuto

 

Armadura tipo Mogamidõ haramaki com capacete tipo suji-kabuto

Armadura tipo Mogamidõ haramaki com capacete tipo suji-kabuto

 

Capacete tipo suji-kabuto

Capacete tipo suji-kabuto

Sem dúvida para mim a melhor parte da exposição foi a galeria de kabutos. Alguns deles possuem formatos que desafiam a minha compreensão sobre aerodinâmica em batalhas (como o caso do número 3 da primeira fileira e do número 4 da segunda fileira). Qualquer movimento mais brusco, cavalgadas ou mesmo um vento devia ter um impacto nervoso na cabeça do samurai, além da aparência pesada, mas fica ai pra uma outra oportunidade pesquisar como era o uso real dessas jóias da guerra.

Galeria Kawari kabuto (capacete estranho) - Da esquerda para a direita, primeira fileira: 1 - chifres de vaca, 2 - rabo de peixe-gato, 3 - desfiladeiro Ichi-no-tani, 4 - conchas turbo. Segunda fileira: 1 - chifres de veado, 2 - capacete dobrado para um nobre, 3 - falsa cabeça, 4 - feixe de juncos

Galeria Kawari kabuto (capacete estranho), cada um representando um elemento diferente – Da esquerda para a direita, primeira fileira: 1 – chifres de vaca, 2 – rabo de peixe-gato, 3 – desfiladeiro Ichi-no-tani, 4 – conchas turbo. Segunda fileira: 1 – chifres de veado, 2 – capacete dobrado para um nobre, 3 – falsa cabeça, 4 – feixe de juncos

 

Minha foto favorita - Kawari kabuto, feixe de juncos

Minha foto favorita – Kawari kabuto, feixe de juncos

Apesar da exposição ser pequena, tinha bastante texto explicativo para ser aproveitado ao longo do espaço, como a indicação dos períodos da história do Japão (abaixo).

Períodos da história do Japão

Períodos da história do Japão

A exposição contava também com outros equipamentos utilizados na guerra, como lanças, arcos e flechas, jittes e até mesmo itens utilizados na prática de artes marciais, como o caso do kendô.

Roupas para prática de kendô e armas para prática

Roupas para prática de kendô e armas para prática

Se você mora em Curitiba ou Recife e está lendo este post dentro das datas de visitação, não perca essa exposição. Não sei se será igual em Sampa, mas a entrada foi gratuita.

Um abraço e até mais!

Bonus: Atrás da exposição, visitamos o Jardim da Cinemateca. O lugar estava um pouco descuidado, com uma área interditada e escadas que não davam em lugar algum, mas pode ser um local interessante para observação. Lá você pode conferir umas “esculturas” deveras curiosas, como uma “Cena de cinema” (que pra mim tá mais pra “Cena do cotidiano).

"Cena de cinema" - Uma das "esculturas" do jardim da Cinemateca

“Cena de cinema” – Uma das “esculturas” do jardim da Cinemateca

Comenta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s