Contos by Gusta

Conto – A névoa esmeralda


Conto: A névoa esmeralda- arte por Nick Muth

25XX, Africa. Os exploradores Z-01, Z-02 e Z-08 se reúnem em uma base improvisada no meio de uma mata virgem. A luz azulada da placa solar em seus abdomes, bem como as conexões ao redor de seus corpos, brilhava fraca no meio da noite, dentro de uma barraca feita com um tecido metálico, da mesma tecnologia de suas armaduras tão finas quanto roupas de tecido porém resistentes como antigas armaduras de aço ou grafeno.

– Vamos repassar a missão. – Disse Z-01, retirando um glasset, uma espécie de tablet transparente, feito com uma liga de vidro maleável. – De acordo com o briefing da missão, a névoa verde foi detectada em três diferentes coordenadas. Não conseguimos capturar imagens aéreas do local e nossos drones de exploração foram derrubados, portanto as imagens que temos são de alguns meses atrás.

– Conseguimos coletar algum dado através dos drones? – Perguntou Z-02.

– Os dados que recuperamos estavam corrompidos. Provavelmente a mesma interferência que estamos recebendo em nossos monitores termais.

– Quando foram detectadas as primeiras ocorrências dessa suposta névoa esverdeada? – Questionou Z-08.

– A Dynaarm recebeu a primeira notificação em Fevereiro, porém temos relatos do ano anterior registrados em outras organizações.

– Este caso está deveras estranho. Interferência, drones derrubados, três meses de delay e não apenas um agente Z, mas mandaram três, nós três, inclusive você, 01. Prefiro que abortemos a missão de solo e tentemos uma abordagem via sonar.

– Z-08, como pode ver na continuação do relatório, as unidades R, S e T participaram desta investigação antes de sermos acionados. A unidade de Reconhecimento conseguiu uma foto da névoa com a cor de esmeralda, como dizem os locais, por isso a chamamos de névoa esmeralda, mas nada mais do que isso. As unidades Sonar e Termo não obtiveram resultado algum, como se nossos equipamentos não funcionassem neste território.

– E isso é possível?

– É para isso que mandaram três agentes da unidade Z. Se qualquer vestígio de tecnologia for encontrado na triangulação do território, devemos recuperar os artefatos para análise. Não estamos autorizados a ativar o modo Frenesi, nem utilizar armas letais. Qualquer sujeito suspeito deve ser imobilizado e extraído manualmente para fora do perímetro antes de acionarmos o suporte aéreo.

– OK, Z-01, estou de acordo com o briefing. – Finalizou Z-08, copiando as informações adicionais para seu computador de bordo.

– OK, Z-01, vamos nessa.

A equipe desativou a base improvisada e iniciou a exploração da mata fechada. Z-08 ficou na retaguarda, relutante do avanço, apesar de concordar com a ação. Z-01 e Z-02 eram uns dos melhores agentes da equipe Z da organização Dynaarm, um braço do governo mundial para casos de genocídio. Depois dos grandes eventos dos anos 20XX, o número de mortes envolvidas em casos sobrenaturais se elevou a ponto da criação de uma organização mundial para investigação e solução. Divida em 26 equipes nomeadas de A a Z, especialmente a equipe Z somente era acionada quando as demais equipes já haviam especificado o caso.
O papel da equipe Z era enviar um único agente altamente treinado para explorar o caso e fazer a chamada “limpeza”, que consistia em eliminar os alvos da investigação e coletar informações adicionais para a base de dados da Dynaarm. Era a primeira vez que mais de um agente fora acionado para uma mesma missão, e a primeira sem autorização para eliminar alvos.

– Z-01, estou analisando os dados do caso e percebi que não temos nada especificando o que aconteceu com as vítimas. – Desta vez, quem questionava era Z-02.

– Foram 185 pessoas, mas tive a impressão de que elas estão apenas desaparecidas. Neste caso não seria prudente a equipe D investigar o caso primeiro?

– Este detalhe me passou desapercebido. Geralmente recebemos tudo bem especificado, mas não tem nada por aqui mesmo.

– Não acha prudente seguirmos a sugestão do Z-08 e recuarmos?

– Tentarei um contato com a central assim que sairmos do perímetro para entendermos melhor a ausência de informações do caso e então decidimos em conjunto se passaremos adiante abortar a missão ou não.

Z-01 começou a estranhar os fatos junto com os demais. Seu batimento cardíaco acelerado podia ser visualizado nos monitores dos outros dois companheiros. Fora do perímetro da mata fechada, Z-01, 02 e 08 adentraram um posto avançado da polícia local. Apresentando-se como membros da Dynaarm, foram recebidos com reverência pelos policiais locais, que estavam há meses assustados com a névoa esmeralda.

– Chamar Central Z Dynaarm, Z-01 falando, em conjunto com Z-02 e Z-08 na escuta. – Acionou o agente por comando de voz em seu monitor pessoal.

– Central Z Dynaarm, agente de monitoramento Z-M09 falando.

– Necessitamos de uma checagem de responsabilidade sobre o caso 29362577. A ausência de informações nos fez retroceder a missão para maiores esclarecimentos.

– Um momento agentes Z, estou fazendo uma conexão neural com os responsáveis pelo report e briefing.

Os agentes ficaram na linha, escutando as rápidas discussões entre as equipes A, R, S e T, que debatiam as informações divulgadas, mais uma vez, inconclusivas. Sem solução, a agente de monitoramento Z-M09 transferiu a conexão para comandante de operações da equipe Z, o agente Z-00, que solicitou a responsabilidade da chamada. Dificilmente os agentes tinham acesso ao comandante, que apenas administrava de dentro da central os briefings bem como as decisões estratégicas entre equipes, mas desta vez o próprio Z-00 capturou a chamada na rede neural e se colocou para conversar diretamente com a equipe enviada.

– Agentes Z-01, 02 e 08, aqui quem fala é o comandante agente Z-00, diretamente da Central Z Dynaarm. A chamada está sendo desconectada da rede neural. As informações que discutiremos são confidenciais, portanto não serão armazenadas em seus computadores de bordo nem no briefing da missão.

– Eu sabia que tinha alguma coisa de errado… – Murmurou Z-08.

– Recomendo que mantenham suas posições. A missão continuará, independente das informações que receberão agora, ou haverá terminação imediata de suas posições como agentes.

– Desculpe-me comandante agente Z-00, mas isso soou como uma ameaça. – Respondeu Z-01.

– Recomendo também que mantenham seus comentários pessoais para si. A opinião de vocês não concerne a esta operação. No momento ainda não sabemos com o que estamos lidando porém posso informar-lhes que é possível que estejamos lidando com um demônio de alta classe.

– Demônio de alta classe, na Terra? Mas e o pacto de Altana?

– Fomos informados que existe grandes chances de que alguns grupos de demônios estão organizando revoluções no inferno e um dos pontos que estão sendo atacados é o pacto de Altana. Não estamos conseguindo estabelecer uma comunicação com nossos contatos de lá, portanto também existe a possibilidade de que as entradas físicas estejam sob ataque.

– Entradas físicas? Então elas existem!

– Sim agente Z-02, e esta é uma informação que deve ser imediatamente tratada como confidencial e vocês foram classificados como agentes de alto risco pelo conhecimento desta, o que significa que se houver desconfiança de que esta informação ter vazado, farão parte de uma investigação imediata além de possível afastamento temporário ou terminação caso sejam as fontes.

– Posso assumir que estamos próximos a uma destas entradas? – Perguntou Z-01.

– Sua localização não será revelada a vocês, mas sim, uma das entradas está próxima a localização de vocês. Queremos que investiguem e capturem qualquer elemento ou artefato que esteja sendo utilizado. Não sabemos que tipo de tecnologia é desenvolvida no inferno e a interferência causada em nossos equipamentos. A névoa esmeralda, se houver possibilidade, deve ser trazida para a base, mais uma vez, de forma confidencial, principalmente se um destes elementos for um demônio. Ninguém fora da operação deve saber sobre o envolvimento de qualquer demônio localizado especificamente por vocês.

– E quanto ao relato das mortes?

– Os 185 indivíduos relatados foram mortos, sem uma causa-mortis definida e, mais uma informação confidencial, tiveram suas almas extraídas no processo.

– Como vocês conseguem analisar este tipo de informação!? – Gritou Z-08, imaginando o quanto não está sendo escondido deles, que são agentes importantes da organização.

– Não sabemos qual o método utilizado para tal, portanto se algum momento sentirem algo diferente do usual, fujam. Os estudos com o uso da alma ainda são muito primários e pode ser uma área de expertise dos demônios. Não importa o número de iterações que realizarem para chegarem ao fim desta missão, somente os receberemos após o caso ter sido fechado. Também não podemos envolver mais agentes da unidade Z, muito menos das demais. Já estamos nos arriscando permitindo que três agentes tenham conhecimento confidencial.

– Pelo menos agora sabemos que estamos lidando com algo maior. – Comentou Z-02 com a voz tremula.

– Agente Z-01, as informações foram suficientes?

– Sim comandante agente Z-00.

– Vocês serão conectados novamente a rede neural e deverão conversar comigo por algum tempo para que não haja desconfiança por parte de outras organizações internas.

– Entendido…

A equipe conversou como esperado com o comandante através da rede neural, e ao final, ficaram em silêncio, na sala reservada do posto de polícia local. O agente Z-01 desconectou seu capacete e respirou fundo. Do lado de dentro da armadura habitava Johann Mateuski, vinte e seis anos, criado na agência Dynaarm desde os doze. Como os demais agentes, ele só precisaria aguardar mais um ano para ser transferido para uma função administrativa da organização, ou mesmo seguir outro rumo. Os demais não fizeram o mesmo e permaneceram esperando as indicações de Z-01 com seus capacetes conectados.

– Droga… Droga… – Batia Johann em uma mesa de metal.

Sua raiva ecoava com o som metálico na calada da noite. Sua respiração ofegante e os batimentos cardíacos crescentes aumentavam a tensão dos outros dois. Ele lutava contra o desejo de liberdade para se acalmar e seguir com a missão sem escolha.

– Z-01, estamos chegando próximos a zero hora. Sabe que é uma hora crítica.

– Sim, eu sei! Não precisa me lembrar… Ainda mais agora, sabendo com o que estamos lidando… Com certeza é uma péssima hora para agirmos. Acho mais prudente aguardarmos algumas horas e esperar a umbra passar. Se vamos mesmo enfrentar um demônio de alta classe, que seja na alvorada.

– Estou de acordo, Z-01.

– Eu também… Isso é demais pra mim… – Finalizou Z-08.

Cada um encontrou uma cadeira para descansar e então ligaram o modo de economia de energia de suas armaduras. Próximo das 5 da manhã, os primeiros sinais da alvorada foram detectados pelo monitor. Z-02 levantou, chamando Johann, que estava dormindo sem seu capacete. Os três voltaram para a mata fechada e retomando as coordenadas do briefing, seguiram adentro. Os relatos mostravam que não importava a hora do dia para a ação da suposta névoa esmeralda acontecer. Pessoas morreram naquela floresta de alvorada a alvorada, e era tudo o que se passava na cabeça de Z-01.
Conforme a mata ficava fechada, era como se a noite eterna habitasse aquela região. As copas das árvores não eram tão densas, porém a luz não encontrava uma brecha para cruza-las.

– Ativar microfones e caixas analógicas.

– Percebeu também Z-02?

– Sim, Z-08, assim que fiquei offline. A inferência está forte demais nesta região. Alguém tem objeções em seguir em frente?

– Eu tenho as coordenadas exatas na cabeça, estamos bem próximos, mas vai ser complicado se localizar sem o termo-monitor. – Respondeu Z-01, tentando enxergar na luz fraca. – Precisaremos ativar os LEDs de iluminação manual.

– Como se os LEDs das conexões da armadura já não fossem suficientes para nos transformar em alvos fáceis.

O coração de Z-01 disparou quando entendeu a observação de Z-08. Ele, que estava caminhando mais a frente, não havia reparado na luz que a armadura estava emitindo. A luz geralmente é fraca, mesmo a noite, entretanto a escuridão dentro da floresta, mesmo já passando das 5 da manhã, era tamanha que os três agentes podiam ser vistos de longe.

– Não podemos desligar isso?

– Acalme-se Z-08, se continuar gritando vai piorar. Não tem como desligar a menos que coloquemos no modo de economia de energia, mas assim ficamos mais vulneráveis do que já estamos.

– Já não precisamos mais brigar, olhem para trás.

Z-02 já preparava sua lâmina solar quando chamou a atenção dos demais. O vislumbre da fumaça densa e esverdeada estava próximo. A cor era brilhante como uma esmeralda e chegava a cegar no meio da escuridão. Z-08, que estava mais afastado de 01 e 02, encarava a névoa de frente, com a mão na frente dos olhos. Ele abriu o monitor do capacete para evitar que a luz verde fosse refletida no vidro da tela interna, mas ainda sim sua intensidade era muito grande.

– Abaixe!

Seguindo a voz de Z-01, 08 abaixou e se jogou para a direita. A luz que passou por ele cortou duas árvores que estavam ao seu lado.

– Ativar ventoinhas mecânicas.

Z-02 correu ao redor da névoa, utilizando o sistema de resfriamento da armadura para tentar afastar a fumaça que cercava a luz esverdeada. Por um momento ele teve um relance de algo com dois chifres retorcidos. A coisa olhou em seus olhos e então desvaneceu, sem deixar rastros. Os monitores voltaram a funcionar e os primeiros feixes de luz do dia encontravam sua entrada entre as folhas das árvores. A equipe vasculhou o local, sem sucesso. O perímetro estava limpo.

A equipe passou dez dias tentando vasculhar a área, em conjunto desta vez com doze drones de exploração. A central decidiu encerrar o caso, mas Z-01, Johann, sentia que algo ainda estava para acontecer. Aquele não era o fim.

 

Por Gusta. Arte por Nick Muth


Olá pessoal! Como mencionado no primeiro conto publicado aqui no blog, pretendo escrever histórias curtas como esta, que pude desenvolver em algumas horas, sem apego, como forma de exercitar minha criatividade e gerar contos rápidos, inicialmente inspirados nas artes exóticas do Mr. Muth (a propósito, caso tenha se interessado pela arte dele, confira aqui na lateral do blog como encomendar artes comissionadas com ele!). Como também já mencionei, estou aceitando sugestões de temas ou imagens para me inspirar e escrever sobre, logicamente dando o crédito e parceria pelo feito. Saiba mais no formulário logo abaixo. Além disso, caso encontre algum erro que eu deixei passar, por favor, não deixe de me avisar!

Saindo um pouco da zona de conforto, porém mantendo o tema evil, acabou que uma história mais futurista apareceu, com base em uma das várias imagens neste estilo que o Nick Muth desenhou. É provável que outros contos (pelo menos mais um, eu imagino), acabe puxando para este lado. Espero que não tenha ficado confuso, pois em pouco espaço acabei criando uma série de novos conceitos, então alguma coisa pode ter escapado de uma boa explicação.

Curtiu? Não esqueça de comentar e compartilhar, afinal, estou publicando estas pequenas histórias por aqui como forma de divulgação. Aproveita pra curtir a página do blog no Facebook. Confira os demais contos no índice que fica aqui na lateral do blog. Um abraço e até mais!

Comenta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s