Diário de Bordo

Diário de Bordo 2 – O Desapego e o “Fim” dos mangás pra mim

Com mais de uma década colecionando mangás, jamais pensei que esse dia chegaria, mas aconteceu. Acho que comecei a colecionar mangás em 2000/2001, na época dos primeiros passos da Conrad e JBC, com Dragon Ball, Sakura Card Captors e Samurai X. A qualidade das publicações era bem medíocre, principalmente num período em que o leitor era subestimado com aqueles meio volumes de 3 reais, mas meu gosto por animações japonesas me fez gastar qualquer dinheiro que eu ganhava com estas revistas que foram acumulando ao longo de mais de uma década.

Sempre com muito cuidado, li e armazenei todos esses mangás com muito apego e carinho, principalmente pela nostalgia que essas histórias despertavam em mim. Teve uma época que eu comprava 12 títulos mensais, era um negócio de louco. Então, foram chegando novas obras, os relançamentos, os cancelamentos, os mangás que arrastaram por anos, o tempo passou e eu não senti mais atração por nada que apareceu. As obras que eu colecionava começaram a perder o sentido, as histórias não pareciam mais tão atrativas, interessantes.

O "fim"

Sad…

Por fim, eu voltei no tempo para ler algumas destas obras nostálgicas e percebi que tudo o que eu sentia era só nostalgia. Elas não fazem mais tanto sentido hoje. Acho que assisti filmes demais, séries demais, li demais, então, algumas formulas, algumas repetições, se tornaram mais evidentes, rasas, até que eu me senti “pressionado” com tanto papel ao meu redor. Talvez não só os mangás se tornaram algo que representam uma “pressão” no pequeno espaço que habito, outras coisas também perderam o sentido em conjunto, mas os mangás foram o foco desse sentimento, pois por onde eu olho, ainda tem mangás me rodeando por aqui.

Particularmente sobre os mangás, cada vez mais me parece que é o “fim” dos mangás para mim. Atualmente eu tenho acompanhado:

  • Shingeki no Kyojin, porque quero ver no que vai dar o final dessa doidera;
  • Bleach, porque eu sou masoquista e leio desde o primeiro capítulo quando ainda lia online num site gringo, e compro desde o primeiro, 15 anos sem largar esse osso que tem semanas boas e semanas ruins;
  • Berserk e Bastard!, quando sai alguma coisa, mas Bastard! faz muitos anos que não tem nada;
  • Air Gear pela Panini, um inferno de coleção que eu pretendo vender assim que comprar tudo e ler, quase seis anos comprando nessa periodicidade merda da Panini que é “bimestral” mas mais parece trimestral;
  • Vagabond… Porque eu sou masoquista e comprei todas as edições já lançadas no Brasil e não aprendo. Eu não ia comprar, principalmente por ser da Panini, mas Takehiko Inoue é Takehiko Inoue e o fato de ser mensal me atraiu.

Ainda sim, olhando esta pequena lista, não há nada de novo. Peguei pra ler um ou outro das gerações novas, mas parece tanto mais do mesmo, muito nonsense sem profundidade, a história de amizade que já deu o que tinha que dar ou os mangás heranças de Gantz que produzem violência por violência com uma desculpa ou outra de roteiro. Posso estar errado pra muita gente, mas é o que eu sinto hoje. E depois que peguei pra ler muitos dos mangás que comprei, senti a mesma coisa. Por esse motivo esse blog acabou mudando de rumo um tempo, e por outros motivos parou, porque a minha proposta original era falar sobre mangá, porque eu gostava de falar e acompanhar esse universo e hoje eu não mais pertenço a ele como antes.

Decidi colocar boa parte de minhas coleções e outros objetos pessoais para venda no OLX. Em um mês consegui vender 30% das minhas coleções, mesmo impondo condições para os interessados, como retirar no produto no local, sem possibilidade de frete ou outros tipos de sites de venda. Ainda tem bastante coisa a venda, que aos poucos pretendo me desapegar, como diz o slogan do próprio OLX, mas praticar este desapego está sendo muito interessante, para alguém como eu que sempre foi muito apegado a memórias e recordações físicas.

Desapegando

Desapegando geral

Esse momento chegou para mim, um momento que eu encontrei minha vida cheia de “coisas” e eu senti que tinha essas coisas demais. Roupas, objetos antigos, papéis, cadernos, pouco a pouco esse desapego tem me feito bem, a ponto de libertar minha mente para dar espaço para coisas novas, coisas que eu mesmo quero produzir, além de liberar espaço no meu quarto. Não estou me desfazendo de tudo, tem mangás que eu quero guardar pra toda vida, além dos artbooks e importados, como minha coleção de itens do Vagabond, que são inestimáveis para mim, mas gradativamente novos itens estão perdendo sentido, e acabam aparecendo na minha lojinha no OLX:

OLXhttp://www.olx.com.br/loja/id/91197

Como você pode ver pela descrição dos anuncios, eu sou preguiçoso e estou fazendo as pessoas virem buscar, mas não é só preguiça, é falta de tempo mesmo, portanto, se você tiver interesse nesses mangás ou quaisquer outros itens, que estão por um preço pra compensar o trabalho de vir buscar, manda uma mensagem ai. Garanto que o estado de conservação está de muito bom a impecável, eu cuido bem das minhas coisas, não é a toa que tem mangás de 2001 que vendi que ainda estavam com as páginas sem amarelar. Se quiser fotos, a gente combina.

Compre mangas

Jogue seu dinheiro em mim, plis

Assim como minha vida, o rumo do blog vai mudar até o mangá se tornar apenas mais um assunto. Pretendo tratar o Diário de Bordo como um blog pessoal, para contar essas e muitas coisas, enquanto que novas categorias podem se moldar, novos nichos, novas ideias.

Um abraço e até mais!

Anúncios

Comenta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s