Cinemateca

Montando um Media Center em Casa – Introdução: Raspberry Pi, o mini-pc mais top do universo

Fala galera! Agora que a categoria Cinemateca está ai a todo vapor, bora contar um pouco das minhas aventuras com meus filmes, quem sabe pode ser útil pra você. Eu tenho uma cacetada de filmes. Isso é um vicio assumido e não tem Cinéfilos Anónimos que possa me ajudar. As vezes a compulsão é tanta que eu pego 5, 10, 20 filmes em uma semana (não que eu assista todos eles, mas eu preciso deles, my precious). Depois de mais de 10 anos nesse pique, eu resolvi manter um Media Center em casa.

Óia os filme tudo ai que lindo

Óia os filme tudo ai que lindo

WTF é um Media Center?

Basicamente um Media Center é uma central de mídia que você pode compilar seus filmes, músicas, séries e afins com uma interface bonita e mais um monte de funcionalidades. No meu caso só filme já dá trabalho demais. Eu já tentei uma série de serviços de steaming, como o Netflix, mas não me satisfez. Para quem gosta de séries, o Netflix é um prato cheio. O catálogo atual de séries passa de 200. Já filmes, o catálogo é um pouco limitado, principalmente em relação aos lançamentos, que chegam em bluray e levam um bom tempo até chegar no Netflix, isso se chegam. Além disso, algumas séries de filmes estão incompletas, como Harry Potter. Eu recomendo totalmente o Netflix, mas principalmente pra quem gosta muito de séries e não quer ter trabalho montando o seu. Então, esta série de posts NÃO É para:

  • Quem tem uma coleção pequena de filmes e/ou séries e/ou músicas
  • Quem não pretende manter uma coleção de arquivos
  • Quem não quer ter trabalho (principalmente “ripando” seus DVDs/Blurays)

Portanto, esta série de posts é para:

  • Quem tem uma coleção grande (ou pretende começar uma) e gostaria de deixa-la organizada em uma interface agradável
  • Quem quer ter além da coleção organizada uma série de funcionalidades interessantes para seus amigos pagarem um pau
  • Os fortes

Equipamentos

Como nada nessa vida é de graça e fácil, montar uma belezura dessas exige de você algumas dilmas, porém como aqui no brogui ninguém tá esbanjando dinheiro, vamos montar essa brincadeira da forma mais barata possível, começando com a escolha do nosso Media Center. Eis que vos apresento o Raspberry Pi (no meu caso, o Raspberry Pi 2).

E ai você diz, WTF essa coisinha ai?

E ai você diz, WTF essa coisinha ai?

Cara, se você não conhece o Raspberry Pi, hora de pirar. Se liga no tamanho desse mini-PC.

3 mangá do Bleach de altura

3 mangá do Bleach de altura

8 mangá do Bleach de tamanho

9 mangá do Bleach de tamanho

Sério, a foto desse post deve estar maior que ele. Isso que ele tá dentro de uma case. Mas afinal, você deve estar se preguntando, isso ai é um computador? Sim meu caro gafanhoto. Lançado em 2012 pela Raspberry Foundation, na Inglaterra, o Raspberry Pi foi lançado com a promessa de ser um computador barato para ensino de programação em sistemas livres, com base no Linux, e softwares livres. O projeto tomou uma proporção gigante e foram lançadas várias versões dele, bem como as pessoas encontraram uma centena de aplicações. O Raspberry Pi possui 5 versões básicas:

  • Raspberry Pi Modelo A
  • Raspberry Pi Modelo A+
  • Raspberry Pi Modelo B
  • Raspberry Pi Modelo B+
  • Raspberry Pi 2 Modelo B

Você pode utilizar qualquer versão para montar o seu Media Center, mas recomendo no mínimo o modelo B ou B+. Já utilize o Modelo A e ele funciona, mas com vídeos Full HD ele chega a travar. Já com os Modelos B ainda estou procurando um video que trave. Recentemente a versão 2 foi lançada (joguei dinheiro na tela e comprei um) e até a Microsoft já está prometendo rodar o Windows 10 nele. Dá uma olhada as especificações desse bichinho:

Processador: 900 MHz quad-core ARM 7
Memória: 1 GB
Vídeo: Video Core IV 256 MHz
HD: Cartão de Memória Micro-SD
USB: 4 portas 2.0
Saídas: HDMI, 3.5, Ethernet, Mini-USB (energia)
Consumo de energia: 4W (ou seja, nem 15 conto por ano na sua conta de luz)
Fonte: 5V, 1A (recomendado)

Só de zuera, vamos comparar com o novo MacBook de ouro de 10000 dilmas:

Processador: 1.100 MHz dual-core Intel M (quad-core é nóis, chupa Apple)
Memória: 8GB (10000 dilmas)
Vídeo: Intel HD Graphics 5300 900 MHz (10000 dilmas [2], mas tá fraco)
HD: 256 ou 512 padrão flash caro pra kct de comprar outro
USB: 1 USB-C pra tudo que vai precisar de adaptador pra qualquer outra coisa…

PAREI POR AQUI, UMA USB????? O RASPBERRY 2 TEM 4!!!

PAREI POR AQUI, UMA USB????? O RASPBERRY 2 TEM 4!!!

E o preço do Raspberry Pi 2:

Ou seja, não custa nem 200 dilmas! Com o preço do novo MacBook você compra 50 desses. Para funcionar, o Raspberry Pi precisa de alguns periféricos que, se você não tem em casa, são encontrados facilmente e baratos no mercado:

  • Uma fonte de 5V, 1A mínimo MicroUSB. A maioria dos celulares que carregam via MicroUSB tem esse padrão. Recomendo 2A se você for usar as 4 USBs constantemente. Como eu já tinha o cabo USB-MicroUSB em casa, a fonte mais cara saiu por 7 obamas no ModMyPi.
  • Um cabo HDMI pra conectar o Raspberry na sua TV a menos que você possua uma TV sem entrada HDMI. Se você tem uma TV com HDMI provavelmente já tem um cabo. Se você for preguiçoso como eu, no Cirilo Cabos tem por 15 dilmas com frete (pelo menos pra minha casa). Para as TVs sem HDMI, você vai precisar das versões mais antigas do Raspberry Pi (Modelo A ou B) e os cabos RCA/P2.
  • Um cartão de memória MicroSD, de tamanho mínimo 4GB. Nesse ponto o Raspberry é meio xarope. Recomendo Kingston, SanDisk ou Samsung, se puder, classe 10. O meu atual é este que comprei no Kabum por 35 dilmas.
  • Um HD externo com fonte própria pra colocar seus filmes/séries/músicas. Por ser um dispositivo reduzido, é complicado para o Raspberry Pi se alimentar (já puxa pouco energia) e ainda ter de alimentar um HD externo, por este motivo, o HD tem que ter sua fonte própria. O preço desde item vai variar de acordo com a sua coleção, não tem nem como contar nos custos aqui.
  • Opcional: Uma case. Se você comprar no ModMyPi ou no AliExpress, tem cases que variam de 7 obamas até o infinito. Na Internet tem gente que faz com Lego, caixa de papelão, então, vai do seu gosto. Não é muito legal deixar ele fora da case, mas se ele estiver em um lugar seguro, sussa.
  • Opcional: Adaptador WiFi. Se você não quer ou não pode conectar o Raspberry direto no seu roteador e você tem uma conexão WiFi em casa, vai precisar de um destes. No ModMyPi, tem por 7 obamas um baratinho.
  • Opcional: Dissipadores de calor. Na boa, o Raspberry nem esquenta, no máximo chega a ficar morno depois de 10 horas de filmes FullHD, porém eu sou meio paranóico e todos os meus já tiveram um desses. Nunca pifaram pelo menos. 5 obamas no ModMyPi.
  • Opcional: Mouse wireless. A maioria das TVs possuem a tecnologia CEC, com a qual você consegue controlar o seu Raspberry Pi com o controle da TV, mas se você possui uma TV sem entrada HDMI, vai precisar de um destes para controlar o Raspberry confortável do seu sofá.

Eu tenho o set com os opcionais tudo (no inicio eu usava o Raspberry em uma TV sem HDMI, então comprei um Air Mouse), que saiu por menos de 300 reais. Desafio você a achar um mini-PC desses por esse valor.

 

KODI (antigo XBMC) e Sistema Operacional

Agora que você já tem a receita dos ingredientes de hardware para montar seu Media Center, vamos para os ingredientes de software, ou o ingrediente: Kodi. Anteriormente conhecido como XBMC, o Kodi é um software de Media Center pelo qual você pode rodar praticamente todo tipo de mídia (arquivos de vídeo e áudio, imagens…), altamente customizável, cheio de programas (add-ons) para incrementa-lo e que roda em basicamente todos os sistemas operacionais mais utilizados (Windows, Linux, Mac, Android…). Como ele roda em Linux, sistema operacional otimizado para o Raspberry Pi, algumas versões do Linux foram criadas com base no Kodi, sendo elas:

  • OpenELEC: minha escolha para o nosso Media Center. Dos que testei, é o sistema mais leve, carrega tudo mais rápido e tem um monte de add-ons pra você fuçar. Tem alguns menus customizados bem simples de mexer.
  • OSMC (antigo RaspBMC): atualmente o OSMC está em desenvolvimento, portanto não posso falar muito dele. Utilizei o RaspBMC no passado e a performance dele é bem próxima ao OpenELEC.
  • XBian: foi o primeiro sistema que utilizei. Não gostava da performance dele no Raspberry Pi Modelo B, portanto nem voltei a utiliza-lo quando comprei o Raspberry Pi 2.

Você pode fazer os testes com estas outras versões, como preferir. Boa parte desta série de matérias que farei sobre Media Center com Raspberry Pi é compatível com as três versões, porém as telas e algumas particularidades mencionadas serão referentes ao OpenELEC. Também vou ensinar como você pode fazer um backup do seu sistema operacional no HD, de forma que você poderá realizar estes testes sem medo. Além disso, se você não gostar da cara dele, tem uma coleção de skins para instalar, fuçar e transformar o seu Media Center como quiser. Dá uma olhada na minha tela inicial:

Skin maneira

Mario aprova

E ai,  bora montar um Media Center? Bom, fico por aqui com a introdução a essa brincadeira. Enquanto você vai coletando ai os materiais para montar o Media Center, dá tempo de escrever a próxima parte. Um abraço e até mais!

9 pensamentos sobre “Montando um Media Center em Casa – Introdução: Raspberry Pi, o mini-pc mais top do universo

  1. Com o chromecast faz tudo isso usando o próprio PC… além de poder usar o smartphone como controle, dá pra colocar pra rodar de um tudo na tv. Será que vale a pena?

    • Olá Guilherme. Eu tenho um Chromecast e posso dizer que são dispositivos com propósitos diferentes. No Chromecast eu assisto Netflix, faço streaming de conteúdos rápidos, como Youtube e outros vídeos. Já o Raspberry está conectado num HD externo no qual estão meus filmes, minhas séries, músicas e um monte de outras mídias. No Raspberry eu organizo e assisto meus filmes, além de uma série de outras funções. Até montar um “videogame” eu montei com o Raspberry. O Chromecast é muito bom, rápido, até mais portátil, basta a UBS da TV e ele fica ligado na HDMI sempre, mas ele faz o que ele faz e só, e já o Raspberry, além do que eu sugeri na matéria, tem dezenas de outras funções. Espero que tenha esclarecido a diferença.

    • Olá, sempre utilizo com um HD externo, porém tem que ser aqueles com fonte, pois a porta do Raspberry não é muito forte. DVD eu vi que é possível mas nunca testei.

  2. Amigo, você pegou o frete mais barato ou dhl? estou querendo comprar e estou em duvida.. eles enviam valor da nota cheia?

    Valeu abraço e bons filmes!!!

    • Olá Phablo,

      O Raspberry Pi 2 é o 4º que compro nestas condições e nunca aconteceu nada, mas como sabemos, aqui no Brasil sempre corremos o risco de ter algo “perdido”.

      Um abraço
      Gusta

Comenta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s